Escolha uma Página

Descubra os Fatores REAIS de Mortalidade das Empresas

 

Eu imagino o que deve ter passado pela sua cabeça, alguns questionamentos:

  • Por que a culpa é minha?
  • Mas e a grande burocracia?
  • E a alta carga tributária?

E outros questionamentos que podem levar uma empresa a falência. Vou te mostrar que esses fatores são secundários, há fatores mais importantes e fundamentais que você precisa compreender para não quebrar. Você precisa conhecer os Fatores REAIS de Mortalidade das Empresas

 

Minha intenção é mostrar o por que várias empresas fecham as portas e algumas poucas permanecem vivas e prosperam.

 

E antes que você diga: “quem é esse cara?” e “da onde ele tirou isso?”.
Segue abaixo:

 

Quem é esse cara?

Sou Thiago Terra, Administrador pela PUC Minas, atuo há 8 anos como consultor de empresas em experiência em controles e indicadores financeiros, gestão de processos, plano de negócios e viabilidade econômico-financeira. Também sou instrutor de Excel com ênfase em negócios e Gestão Financeira há 11 anos.

 

Da onde ele tirou isso?

Vivenciei muitas empresas fechando as portas e algumas sobrevivendo na crise, com isso percebi alguns fatores que realmente faziam a diferença para uma empresa sobreviver. Com estas premissas em minha cabeça fiz algumas pesquisas para saber se eu realmente estava certo, e estava. Portanto este artigo reúne diversos estudos e pesquisas sobre a mortalidade das empresas. Portanto segue no final desse artigo os links para você consultar livremente.

 
 

Parte 1: Taxa de Mortalidade das Empresas no Brasil

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!
 

Atualmente, com os dados mais atualizados a taxa de mortalidade está em 23,4% ou 76,6% de sobrevivência das empresas criadas em 2012 com até 2 anos de sobrevivência.
Vamos entender com calma esse número:

  • Das empresas criadas em 2012 23,4% morreram em até 2014.
  • Das empresas criadas em 2012 76,6% sobreviveram em até 2014.

É possível que a primeira coisa talvez você pense:

  • “Não é tão ruim, se pensar que estamos falando de Brasil.”
  • “Está ok para um país com alta carga tributária, burocracia, forte concorrência, poucas linhas de crédito, etc.”

Pois bem, não comentar a respeito disso no momento, vou continuar com a apresentação dos dados. Agora segue a taxa de sobrevivência de outros anos:

 

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!

 
Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!

 

Um adendo: no estudo é apresentado ambas as taxas: sobrevivência e mortalidade. A partir de agora vou apenas informar a taxa de mortalidade, pois acredito ser melhor para exemplificar e além do que as taxas são complementares. Se de 100% das empresas, 40% morreram, logo sobreviveram 60%, certo?

Pois bem, vamos continuar.

 

É possível verificar que houve uma forte queda na taxa de mortalidade das empresas, de 44,6% (2009) para 23,8% (2010), ou seja, ouve uma grande melhora na qualidade dos negócios, será que:

  • Os empreendedores ficaram mais preparados?
  • Estão entrando mais empreendedores por Oportunidade do que Necessidade?
  • O que será que ocorreu?

Os estudos apresentaram vários aspectos que contribuíram para este número, vamos a eles:

  • 1. Evolução do Produto Interno Bruto (PIB): houve uma grande expansão do PIB nesse período, exceto 2009. Chegamos a bater 7,5% em 2010, a maior alta em 25 anos. Isto deve ter beneficiado abertura de novos negócios.
  • 2. Evolução taxa de juros: houve uma tendência de queda na taxa SELIC que ocorreu um aumento nos investimentos no país, empréstimos mais baratos etc.
  • 3. Aumento salário médio real dos trabalhadores: entre 2008 e 2014, o salário médio do trabalhador subiu de 25% acima da inflação. Indo de R$ 1.991 para R$ 2.498.
  • 4. Aumento do Salário Mínimo real: entre 2008 e 2014, apresentou uma expansão acumulada de 30% acima da inflação.
  • 5. Taxa de Desemprego: evolução da taxa de desemprego: a taxa de desemprego nas principais regiões metropolitanas do país caiu de 9,2% para 4,8% da população economicamente ativa (uma queda de quase 50% na taxa).
  • 6. Melhoria na legislação voltada para os pequenos negócios: dando destaque para a Lei Geral 123/2006, implantação e ampliação do Simples Nacional e a criação do Microempreendedor Individual (MEI).

 

Dou um destaque maior para o tópico 6, a criação do MEI, para mim ele foi o maior responsável na queda drástica dessa taxa, mas não vou me aprofundar nestes tópicos porque não é o objetivo desse artigo, eu sei que cada um desses assuntos é complexo e exige uma análise aprofundada, portanto se quiser debater use o campo de comentários abaixo, responderei com o maior prazer.

 

O ponto que quero ilustrar aqui é: observaram que a queda na taxa de mortalidade das empresas são fatores apenas externos?

 

Logo chegamos a concluir que: 
Quando os fatores externos forem favoráveis menos empresas irão morrer. 
Quanto os fatores externos forem desfavoráveis mais empresas irão morrer.

 

Certo? Errado! Na verdade, vou concordar em parte.

De fato, podemos chegar a esta conclusão, mas eu te digo que faltam dados, muitos dados para analisar! Por exemplo, e quanto as empresas que não morreram? E quanto as empresas que cresceram?

Na crise eu vi muitos negócios prosperarem e negócios morrerem.

  • Eu vi negócios essenciais fecharem as portas: padarias, alimentos em geral, farmácias, etc.
  • E vi negócios não essenciais prosperarem: hamburguerias, franquias de sorvetes e afins, cursos e idiomas, etc.

Para entender melhor vamos a segunda parte desse estudo.

 
 
 

Parte 2: Motivos Levantados pelos Empreendedores

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!
 

O Sebrae também entrevistou 2.006 empresas que sobreviveram e morreram para levantar com profundidade quais as causas apontadas pelos próprios empreendedores que os levaram à sobrevivência e ao fechamento.

 

Para as empresas que fecharam as portas fizeram algumas perguntas como:

 

1. Cite os três principais motivos que o(a) Sr.(a) considera que foram fundamentais para que a empresa deixasse de funcionar.
Foi uma pergunta aberta e tiveram a seguinte resposta.

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!

 
 

Depois fizeram a seguinte pergunta:

 

2. Dos tipos de auxílio que vou ler, quais são mais importantes e que poderiam ter sido úteis para evitar o fechamento da empresa?
Foi uma pergunta fechada e tiveram a seguinte resposta.

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!

 

Reparem nos 3 maiores fatores citados que poderiam salvar o seu negócio:

  • Menos encargos e impostos.
  • Mais clientes.
  • Crédito mais facilitado.

Novamente aparece apenas fatores externos. Interessante, não?

Para você que está pensando que os fatores de maior importância na mortalidade das empresas são fatores externos, você está errado, continue lendo até o final que você entenderá.

 
 
 

Parte 3: Taxa de Mortalidade Empresas nos EUA

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!
 

Para iniciar meu argumento nos reais fatores que causam mortalidade nos negócios, vou apresentar alguns dados dos EUA.

Você sabia que nos EUA sobrevivência das empresas criadas em 2012 com até 2 anos de sobrevivência é de 77,4%?

Veja a tabela abaixo:

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!

 

Ou seja:

  • A taxa de mortalidade nos EUA é de: 22,6%.
  • A taxa de mortalidade no Brasil é de: 23,8%.

Conclusão: a taxa de mortalidade das empresas americanas é praticamente a mesma que no Brasil!

 

E vamos analisar o seguinte, os EUA é um país conhecido por:

  • Possuir menos encargos e impostos.
  • Maior mercado, mais clientes.
  • Crédito mais facilitado.

E agora José?

Você concorda comigo que não faz sentido ter a mesma taxa de mortalidade, pois:
Os EUA tem todos os fatores alegados pelos empreendedores brasileiros que poderiam salvar o seu negócio, mas morrem a mesma taxa.

 

Então já vou concluir que: fatores externos atrapalham, mas não determinam o sucesso do seu negócio.

Vou repetir com outras palavras: são os fatores internos determinam o sucesso do seu negócio, ou seja, se o seu negócio quebrar a culpa é sua!

 

Então vamos ao próximo tópico para entender quais são os verdadeiros fatores que determinam a falência ou sobrevivência de um negócio.

 
 

Parte 4: Os VERDADEIROS fatores que causam a mortalidade

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!
 

Vamos novamente retomar a alguns dados da pesquisa. O Sebrae também entrevistou empresas que sobreviveram e identificou o seguinte.

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!

 

Neste quadro extraído do estudo conseguimos observar que:

  • Histórico do Empreendedor: a ocupação, experiência no ramo e motivação para abrir o negócio, são fatores importantes.
  • Planejamento do Negócio: planejaram com mais qualidade e por um tempo maior.
  • Gestão do Negócio: aperfeiçoram seus produtos, investiram em capacitação dos funcionários, atualização constante às novas tecnologias do setor e fizeram um acompanhamento rigoroso de receitas/despesas.
  • Capacitação: capacitação própria, fizeram cursos de capacitação durante a permanência do negócio.

 

Percebe que NÃO HÁ FATORES EXTERNOS?

São fatores que estão em suas mãos, fatores em que você pode tomar uma atitude a respeito.

 

Aqui vai um simples exemplo que vejo ocorrer muito na prática:

A alta inadimplência foi um fator alegado pelos empreendedores que causaram o fechamento de seus negócios, ou seja, culpando o não pagamento dos clientes, logo um fator externo. Certo? Errado!

 

Por que o empreendedor não implantou uma gestão financeira para melhorar sua cobrança? Por que não mexeu nos aspectos da venda?

Exemplo: parar de aceitar cheques e aceitar apenas cartão de crédito para pagamentos parcelados. Muitos irão dizer: “mas cartão tem altas taxas, o que inviabiliza a venda ou que irá reduzir muito as vendas, logo vou quebrar do mesmo jeito.”

 

Eu desafio a colocar isto na ponta do lápis, ou melhor numa planilha. Você vai verificar que o valor total recebido (o que foi vendido e recebido), será maior com as vendas no cartão. Eu faço uma aposta!

 

É preciso entender que é melhor ter a garantia de que vai receber 100% das suas vendas, pois é um dinheiro que você pode contar.

 

Imagine o seguinte:

A empresa faz 60 mil em vendas no cartão. Você tem CERTEZA que vai receber 60 mil.

A empresa faz 100 mil em vendas no cheque. Você NÃO tem a CERTEZA de que irá receber, além de que perdeu mercadoria!

No segundo caso você perde 2x:

  • Na falta do pagamento do cliente.
  • Na mercadoria perdida que poderia ter sido para atender uma venda no cartão

Atenção: não estou falando para você banir as vendas no cheque (mesmo que seja recomendado banir este tipo de venda), pois se você tiver uma excelente estrutura financeira que consiste basicament em:

  • Uma boa análise do perfil do cliente.
  • Um histórico positivo de pagamentos do cliente
  • Sistema de cobranças eficiente.

Se tiver uma estrutura como esta é possível trabalhar com cheque. É por isso que no fundo eu não recomendo ao empreendedor trabalhar com cheque, pois é preciso ser muito estruturado para poder funcionar.

 

Percebeu como um “fator externo” foi resolvido?

Para melhorar ainda mais segue este excelente quadro que o estudo apresenta:

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!

Percebe como é nítida a diferença entre o empreendedor sobrevivente e o empreendedor que fechou as portas.

 

Atenção: o estudo do Sebrae ainda diz: Empresa Sobrevivente, não diz: Empresa de Sucesso.

Ou seja, o empreendedor sobrevivente se planejou com mais qualidade e por um tempo maior, buscou sempre aperfeiçoar seus produtos, capacitou a si próprio e a seus colaboradores, fez um controle rigoroso de suas receitas e despesas.

 

Isto tudo, apenas para SOBREVIVER, apenas para MANTER SEU NEGÓCIO FUNCIONANDO.

 

Aqui vai uma observação pessoal:

 

Foi-se o tempo em que abria uma empresa com pouca formação/estudo, com pouco conhecimento do mercado, com pouca inovação seja na gestão ou nos produtos. Hoje abrir um negócio de forma planejada e estruturada é apenas um passo, você precisa estar SEMPRE melhorando, SEMPRE aperfeiçoando seu negócio.

 
 

Um adendo:

Não levem a ferro e fogo todos estes fatores para fazer seu negócio sobreviver.

Exemplo: eu já desenvolvi um plano de negócios para empreendedores que não conheciam o mercado em que iriam entrar, um fator extremamente prejudicial e que pode levar seu negócio ao fracasso, contudo os empreendedores mesmo assim abriram e se mantiveram atentos e se atualizando, ou seja, mesmo com esse fator negativo, correram atrás do prejuízo. Hoje é um negócio de sucesso e possui 3 unidades.

 

E sabe porque a maior parte dos empreendedores colocam a culpa em fatores externos?

Ao longo do tempo eu percebi que infelizmente a maioria dos empreendedores não tem a noção do quanto estão mal preparados para o mercado. A maior parte não tem um simples fluxo de caixa para fazer um planejamento financeiro, ou sequer sabem qual seu Mark-up ou a Margem de Contribuição de seus produtos.

Infelizmente a grande maioria pensa que é apenas comprar o produto por R$ 100, vender por R$ 200 e dizer que está lucrando 100% em cada venda. Não, você não está!

 

Vamos a mais um simples exemplo: Empresa A e a Empresa B.

  • Empresa A: empresa que possui uma boa gestão, faz planejamentos com frequência, possui uma boa liderança e investe sempre na sua equipe e em inovação.
  • Empresa B: não possui uma boa gestão, começa a fazer os planejamentos e para na metade do caminho, ou as vezes, os finaliza mas nunca dá sequência. A liderança não é exercida e tem o produto do mesmo jeito desde quando abriu o negócio.

Vamos supor que as duas estão no mesmo segmento e devido a todos os fatores acima citados, temos:

Empresa A: fatura R$ 100 mil por mês. Lucro: 20% ao mês, ou seja, R$ 20 mil.

Empresa B: fatura R$ 100 mil por mês. Lucro: 5% ao mês, ou seja, R$ 5 mil.

Durante uma crise econômica, onde há uma diminuição na demanda, as pessoas compram menos e os preços dos produtos tendem a cair.

 

Eu te pergunto: qual empresa vai sobreviver?

Ambas empresas irão perder vendas, passarão por dificuldades, mas a crise leva as empresas MENOS PREPARADAS, por isso que os fatores internos são determinantes para o seu sucesso.

 
 

Parte 5: Conclusão

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!
 

Você é o único responsável pelo sucesso do seu negócio.

Fatores externos irão sempre te atrapalhar, você irá passar por momentos difíceis, mas os fatores externos não determinam o sucesso do seu negócio.

Não culpe o governo, a concorrência, ou o mercado. Pois estes fatores são prejudiciais para todo mundo!

 

Atenção, ser o único responsável não quer dizer que você está sozinho nessa! Você tem seus funcionários, familiares, amigos que querem e podem te ajudar no seu sucesso.

 

E aproveitando a oportunidade, venho te dizer que eu também posso te ajudar.

Recentemente desenvolvi um produto específico para que os pequenos empreendedores possam sobreviver e prosperar na crise.

 

Se chama: EconoSimples.

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!

Um método simples e exclusivo para te ajudar a reduzir seus gastos e te ajudar a aumentar o seu lucro.

Acesse o link e confira: www.EconoSimples.com.

 

Eu não consigo fazer mágica e salvar seu negócio à distância, mas posso te ajudar a: levantar e identificar os seus gastos e fazer um controle rigoroso para conseguir reduzi-los.

É fazer MAIS com MENOS, mantendo a qualidade.

 

Por fim, te desejo muita resiliência e capacidade para superar este momento difícil.

Assuma as rédeas de sua vida e do seu negócio.

Felicidades e Sucesso!

 
 

Fontes de pesquisa:


 
 

P.S.:

Utilize o espaço abaixo para enviar dúvidas, comentários e sugestões.

Estou à disposição e irei responder com maior prazer.

 

Caso tenha gostado desse conteúdo e queria fazer parte de uma lista exclusiva de empreendedores e profissionais que querem fazer a diferença. Informe seus dados no formulário abaixo para receber em primeira mão cada novo conteúdo.

É gratuito e sempre será.

Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!
Carregando aguarde...
Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!
Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!
Se o SEU Negócio Quebrar a Culpa é SUA!

Thiago Terra

Consultor de Empresas

Administrador pela PUC Minas, atua há 8 anos como consultor de empresas em experiência em controles e indicadores financeiros, gestão de processos, plano de negócios e viabilidade econômico-financeira. Também é instrutor de Excel com ênfase em negócios e finanças há 11 anos.

Faça seu comentário

perguntas e respostas no total.

Tenha Resultados Incríveis

Tenha Resultados Incríveis!

Receba artigos, dicas, tutoriais de como melhorar seus resultados e aumentar sua performance.

Totalmente exclusivo e gratuito!


Inscrito com sucesso!